Timeless: a série de sci-fi problematizadora do rolê

O Pavê de hoje traz uma dica de série que vai te fazer viajar pelo tempo, conhecer os maiores eventos da história estadunidense, problematizar e ainda dar uns berros de tanto rir. Conheça Timeless, a nova série de ficção-científica da NBC.

Untitled-5.png

[Descrição da imagem] Um homem (Rufus), uma mulher (Lucy) e outro homem (Wyatt) olhando para frente com expressões de surpresa.

A premissa de Timeless é bem simples: uma máquina do tempo é roubada e uma historiadora, um cientista e um soldado precisam resgatá-la antes que o curso da história americana seja alterado. Mas a forma como a série está sendo executada por Eric Kripke, criador de Supernatural e da finada Revolution, é o que torna Timeless um must-watch.

A máquina do tempo é um protótipo desenvolvido pela Mason Industries, e ela é roubada por Garcia Flynn, que a princípio ninguém sabe exatamente porque, mas é considerado altamente perigoso. Logo o governo americano é acionado e decide que um time precisa ser formado para recuperar a máquina usando uma segunda máquina do tempo (não tão boa quanto a primeira).

O grupo convocado para a missão é formado por Lucy Preston, uma historiadora que vai guiar a equipe evitando que eles cometam gafes históricas, criando disfarces apropriados para cada época e analisando como evitar que a história seja alterada; Rufus Carlin, um programador que vai pilotar esta segunda máquina do tempo; e Wyatt Logan, um soldado que vai manter a equipe em segurança e que possui a tarefa de matar Garcia Flynn antes que ele mude a história.

Nesse momento você pode estar pensando: “mas tanta merda aconteceu nos Estados Unidos, talvez seja bom que a história seja alterada, se isso acontecesse talvez agora o Trump não fosse presidente”. E é exatamente isso que Rufus nos lembra a cada episódio. Rufus nos oferece a sua perspectiva sobre a história do seu país, apontando o privilégio branco de Lucy e Wyatt.

A cada viagem que eles fazem, nós conseguimos ver o preconceito sofrido por Rufus e quando negros e latinos aparecem apenas em posições consideradas inferiores — o que faz com que Rufus se disfarce como tal, nós somos lembrados do quanto a segregação era cruel e real. E ao ouvir de Lucy que é o trabalho deles proteger a história, nós recebemos essa incrível resposta de Rufus: “Sim, é o nosso trabalho proteger a história de homens ricos e brancos. A maioria da minha história é uma merda”.

Untitled-2.png

[Descrição da imagem] O trio de protagonista vestindo roupas de época e olhando para um ponto além da câmera. Cena do episódio The Assassination of Abraham Lincoln

Se isso não foi o suficiente para te fazer correr agora para assistir Timeless, então deixa eu dizer também que todos os personagens principais do presente são POC (people of color). Connor Mason, o dono da Mason Industries, é negro. Jiya, uma programadora e crush do Rufus, é latina. Denise Christopher, a agente especial responsável pela missão de recuperar a máquina do tempo, é descendente de ameríndios.

E a trama da série vai ficando cada vez melhor. Conforme os confrontos com Garcia Flynn vão acontecendo, os personagens são levados a questionar as ordens que receberam. Por que eles estão perseguindo um homem até então desconhecido? Por que Flynn é considerado perigoso? Por que as ordens são para matá-lo? Qual o motivo que Garcia tem para querer alterar a história? E por que Lucy, Rufus e Wyatt foram especificamente selecionados para esta missão?

Aí nós entramos no território maravilhoso das teorias de conspiração e acreditem quando eu digo: it will blow your mind. Nós aprendemos sobre a história de cada um dos personagens e vemos cada uma das questões que citei sendo esclarecidas à medida em que você inevitavelmente se apega a esse trio maravilhoso. E quando você se der conta, o seu fechamento só vai ser Timeless.

Se você não tá a fim de problematizar (o que você está fazendo neste blog, eu me pergunto) então assista Timeless pelos insights na história. Até o momento foram ao ar 12 episódios, e neles viajamos até o desastre do Hidenburg, até o Alamo, até o escândalo de Watergate; conhecemos Jesse James, Bonnie & Clyde, Nonhelema e Katherine Johnson (uma das personagens principais do filme indicado ao Oscar Estrelas Além do Tempo).

Untitled-7.png

[Descrição da imagem] O trio de protagonista em véstias festivas, encarando uma mulher e um deles (Wyatt) mostrando-lhe uma foto de um homem.

Também vemos os personagens lidarem com aquele princípio básico da viagem no tempo: mesmo pequenas mudanças nos eventos passados podem causar drásticas alterações no presente. Para alguns dos personagens, isso será o seu pesadelo e para outros, a sua esperança. E você ainda pode rir bastante com a Lucy colocando os machos do passado no lugar deles.

Então sai só um pouco da Netflix e vem conferir essa série maravilhosa, que tá agradando a crítica e o povão, vai ganhar mais episódios e tem mulher e POC protagonistas. Não é todo dia que vemos isso na TV, né? Então assiste, comenta, compartilha pro mundo saber da beleza de Timeless. E depois conta pra gente o que achou!

 

Rebeca de Arruda
textos de convidados | twitter | goodreads
Social Media, entusiasta do k-pop e doramas. Lê livros demais, vê séries demais e uns filminhos também. Vive para problematizar (e amar) a cultura pop — e também para enaltecer The Shannara Chronicles!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s