Resenha do filme: Sete Minutos Depois da Meia Noite

A história de uma criança, ou pré-adolescente, sendo ajudada por seres sobrenaturais a enfrentar alguns desafios em sua vida já é um enredo conhecido. O filme Sete Minutos Depois da Meia Noite (A Monster Calls, 2016) não traz inovações nesse sentido, entretanto, isto não o impede de fazer com que fiquemos extremamente comovidos ao acompanhar a trajetória de Connor. A obra é dirigida por J. A. Bayona, mesmo diretor de O Orfanato, com atuação de carinhas bem reconhecíveis, como Felicity Jones e Sigourney Weaver (também conhecida como Tenente Ripley).
Continuar lendo

Quimera: a novidade da Pagu Comics, e sua intrigante estreia

Já fazia algum tempo que eu tava empolgada com o lançamento do quadrinho Quimera, nova obra do selo Pagu Comics, e quando o dia de lançamento finalmente chegou, eu fiquei animadíssima de poder ler. Se minhas expectativas acabaram me decepcionando? Nenhum pouco! E é por esse motivo que a dica de hoje do palê é essa incrível HQ brasileira, então vamos lá falar um pouquinho mais sobre ela!

untitled-7

[Descrição da imagem: A ilustração de capa de Quimera, em que vemos Anna de lado, segurando um celular, mas encarando a câmera; Nicole desenhada de forma maior atrás de Anna, também encarando a câmera com um suave sorriso; e as duas imagens contornadas pela silhueta de um rosto feminino, pintado em cores rosa e roxa.]

Continuar lendo

Trolls: muita cor, muito glitter e o que é felicidade

Então é 2017, o Pavê voltou e eu vim trazer uma recomendação fresquinha para você nesse começo de ano. Começar o ano com uma animação, por que não? E ainda melhor, com muito glitter. Às vezes acho a Pixar superestimada demais, não discordo do incrível trabalho do estúdio de animação, mas vamos exaltar outros estúdios que merecem tanto quanto também! A Dreamworks vem crescendo cada vez mais em suas últimas produções e Trolls é a prova disso. Uma ideia bacana, uma produção impecável, uma trilha sonora maravilhosa e uma história cheia de vida.

trolls3

Queria começar falando que o filme foi inspirado nos bonecos trolls de 1980 e 90, aqueles do visual pelado e cabelos coloridos super arrepiados. E quem não lembra daquela versão meio trolls meio bratz do McLanche Feliz? Tem até algumas referências aos bonecos no começo do filme. Preciso admitir que Trolls foi uma surpresa boa. A primeira vez que vi o anúncio do novo filme não liguei muito, inclusive fiquei com a sensação que o filme e o roteiro tinham uma pegada meio Smurfs (que confesso, não gostei muito) e não estava animada não. Mas então ouvi comentários empolgados de pessoas que assistiram, fiquei animada e fui conferir. Não me decepcionei. Tentarei falar aqui alguns dos motivos que faz esse filme tão bonito e encantador, sem entregar muito para você ter a chance de experienciá-lo pelos seus próprios olhos.

Continuar lendo

Três bons motivos pra ler A Trilogia do Vencedor

b18d8701bd0e0481926735a94e213fd9.jpg

Capas das edições americanas

A Trilogia do Vencedor, ou The Winner’s Trilogy, da Marie Rutkoski, terminou de ser lançada nos Estados Unidos em 2016 e já tem dois de seus três livros publicados aqui no Brasil. “The Winner’s Curse” e “The Winner’s Crime” foram lançados como “A Maldição do Vencedor” e “O Crime do Vencedor”. Já o terceiro e último livro, “The Winner’s Kiss”, tem publicação aguardada ainda para o primeiro semestre de 2017 e será lançado como “O Beijo do Vencedor”. Essa é uma série de fantasia sem sistema de magia, em que a trama se baseia no romance entre um escravo e sua dona e em conflitos políticos entre seus dois povos.

Continuar lendo