Powerless: uma série com tudo que você não esperava da DC Comics

Esse ano, a rede americana NBC nos presenteou com mais uma adição ao DCTV (como são chamadas as produções televisivas baseadas em personagens da DC Comics). Depois de Arrow, The Flash, DC’s Legends of Tomorrow e Supergirl, agora nós temos Powerless, que é bem diferente de tudo que a DC tem produzido (para cinema e televisão) atualmente.

Powerless é o primeiro sitcom do Universo DC – só a palavra sitcom e DC na mesma frase já é o suficiente para gerar bastante estranheza, afinal a DC é famosa por suas produções sombrias, tanto no cinema, quanto na televisão; as exceções sendo The Flash e Supergirl, que possuem um caráter teen e divertido, mas ainda assim não são sitcoms. E esse já é um motivo para você dar uma chance à série. Tantas pessoas reclamam do tom pesado das produções da DC, então vamos apreciar agora que eles decidiram colocar a cara no sol.

170201_3463417_Wayne_Dream_Team

[Descrição da imagem: Quatro pessoas estão com os braços apoiados na mesa e sorrindo. Duas delas – Wendy e Teddy – olham para a tela do computador, enquanto as outras duas – Ron e Emily – olham alegremente para Teddy.]

A proposta da série é mostrar o dia a dia de um escritório que está inserido num universo de super-heróis, num estilo The Office mesmo. Powerless segue Emily Locke (Vanessa Hudgens), a mais nova diretora de pesquisa e desenvolvimento da Wayne Security – uma subsidiária da Wayne Enterprises, comandada por um primo distante de Bruce Wayne e que se especializa em desenvolver produtos que mantém os cidadãos seguros num mundo cheio de heróis e vilões.

Emily gerencia a equipe formada por Teddy (Danny Pudi), Ron (Ron Funches) e Wendy (Jennie Pierson), que são profissionais geniais, porém completamente desmotivados. E Emily parece que engoliu um livro de citações motivacionais então tudo que ela mais quer é ver a sua equipe motivada e pronta para criar e se destacar dentro da empresa.

Mas ela logo descobre que isso vai ser um pouco difícil de acontecer, já que o chefão Vanderveer Wayne (Alan Tudyk) acredita que a empresa é completamente inútil e que ele vive na sombra do seu primo famoso – imagina só se ele soubesse que o seu primo é o Batman! E é nesse ambiente que Emily vai tentar motivar a todos para que eles trabalhem e criem equipamentos que podem mudar o mundo.

tumblr_oksqmnL08o1qg4e0wo4_500

[Descrição da imagem: Ao fundo, Emily fala e todos prestam atenção nela, enquanto Ron grita “Deixa pra lá, ela só está tentando nos motivar, nós ainda estamos demitidos.]

Powerless consegue brilhar e ganhar o seu lugar no Universo DC pelo bom uso de seus atores principais, especialmente Danny Pudi, conhecido por sua atuação incrível como Abed no seriado Community, e Ron Funches, que ganhou destaque como Shelly em Undeatable. Até Vanessa Hudgens – que, quando escalada para o papel, fez muitos geeks torcerem o nariz, tem ótimos momentos cômicos, seja com a sua adaptação a uma cidade com super-heróis ou com seu extremo otimismo num ambiente desanimador.

Apesar da série não contar com nenhum dos heróis do próprio DCTV, ela está repleta de easter eggs (ovos de Páscoa, numa tradução literal, mas que também significa surpresas escondidas numa produção) para agradar os fãs de quadrinhos. Nós temos aparições da Raposa Escarlate, Fogo-Fátuo e Starro, e lugares já famosos no Universo DC, como a rede de fast-food Big Belly Burger.

A minha parte favorita, e que fez com que eu realmente gostasse da série, é o humor ágil e inteligente do roteiro, que consegue fazer referências a toda cultura pop – misturando Atlanta e Atlantis e comparando Lex Luthor a Donald Trump. Se Powerless não vai te fazer rolar de rir, eu não sei o que mais vai, viu?

Screenshot_4

[Descrição da imagem: Quatro quadros formam o seguinte diálogo: Emily pergunta “Qual é o maior gerador de vilões com a exceção de maus pais?”, Teddy responde “Ser mordido”, Jennie diz “Acidentes no laboratório” e Ron conclui com “Perder o voto popular mas, de alguma forma, vencer a eleição”.]

Então vem e dá uma chance pra Powerless! Os episódios são curtinhos – tem menos de 30 minutos – sendo fã de quadrinhos, você vai amar todas as referências; e se não for, ainda é garantia de boas risadas! Além de tudo, a série tem um elenco diverso (três POCs no elenco principal) e mulher como protagonista. A minha DC está viva, sim!

Rebeca de Arruda
meus textos | twitter | goodreads
Social Media, entusiasta do k-pop e doramas. Lê livros demais, vê séries demais e uns filminhos também. Vive para problematizar (e amar) a cultura pop — e também para enaltecer The Shannara Chronicles!
Anúncios

Um comentário sobre “Powerless: uma série com tudo que você não esperava da DC Comics

  1. Amo fortemente Powerless!! Somente a ideia da série já é hilária, falando dos perrengues que passam as “pessoas comuns” nas cidades repletas de heróis. ❤
    A Vanessa é realmente ótima e, apesar de realmente causar estranheza, ela é super original, com o humor mais fofo e leve. ❤

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s