Pavê Mix: Piratas

Pirate skull banner wallpaper 2560x1440

[Descrição da imagem: Mostra a Jolly Roger (bandeira pirata) de Calico Jack, um crânio acima de duas espadas cruzadas, sobre um fundo escuro e com aspecto envelhecido.]

Não muito tempo atrás, tive a oportunidade de resenhar aqui no blog o livro A Canção de Aquiles – e aproveitei para também comentar brevemente a respeito do meu interesse por História e mitologias. Antes disso, houve meu primeiro post no Pavê, sobre os irmãos Grimm e meu amor por contos-de-fadas. Porém o que não falei na época é que, de tanto pesquisar e estudar História e estar em contato com contos-de-fadas, acabei desenvolvendo uma preferência por um assunto específico: piratas.

Possivelmente meu fascínio por essas figuras tão singulares surgiu através do fato de que, durante a infância, eu lia Peter & Wendy, de J.M. Barrie, assiduamente. Dentre os personagens principais do conto de fada encontra-se Capitão Gancho, o pirata com um gancho no lugar da mão, sua tripulação, e seu memorável navio Jolly Roger. Ao invés de temê-lo como provavelmente deveria ter acontecido, resolvi ir atrás de suas origens para saber, afinal, quem eram os piratas, os bucaneiros, o que eles faziam e por qual motivo vieram a receber tanto destaque. Para minha surpresa, descobri que os piratas não eram somente frutos da imaginação do autor, mas que realmente existiram figuras históricas nas quais ele baseou-se para criá-los.

Nos últimos anos, os piratas têm recebido cada vez mais destaque na cultura pop, seja em livros, filmes, séries ou quadrinhos. Sua maior popularização se deu através da estreia do primeiro filme de Piratas do Caribe em 2003, quando fomos introduzidos aos famigerados Capitão Jack Sparrow (Johnny Depp), Elizabeth Turner (Keira Knightley) e Capitão Barbossa (Geoffrey Rush), além de posteriormente contar com a presença de Edward Teach, o Barba Negra (Ian McShane). Curiosamente também foi lançada nesse mesmo ano a versão live-action mais famosa de Peter Pan.

Contudo, voltando no passado, piratas já vêm sendo retratados na literatura e no cinema há um longo tempo. A percepção moderna que se tem sobre eles – frequentemente adotada pela cultura pop, pois corresponde aos piratas tais quais os conhecemos hoje -, deriva principal e primordialmente da Época Dourada da Pirataria. Trata-se de um período histórico, que se iniciou em meados de 1650 e terminou em 1726, no qual a pirataria atingiu seu ápice, ocasionando o surgimento de personalidades memoráveis, como Anne Bonny, Mary Read, Calico Jack, e o próprio Barba Negra. A obra A General History of the Pyrates (1724), de Charles Johnson, foi a grande pioneira da literatura pirata, influenciando a publicação de suas sucessoras,  A Ilha do Tesouro (1833), de Robert Louis Stevenson, e novamente Peter & Wendy (1911), de J.M. Barrie, que apresentaram inclusive uma visão um tanto fantasiosa dos piratas, embora fortemente inspirados por seus feitos verídicos.

No post de hoje, realizamos uma pequena seleção e trazemos para vocês indicações de algumas dessas obras da cultura pop cujas possuem os piratas, bucaneiros ou corsários como seus protagonistas, e que se destacaram por isso. Seja com enredos fantasiosos ou puramente históricos, embarque com a gente nesse navio e vem conferir essas recomendações para aprender mais sobre piratas!

1. Série: Black Sails (2014-2017)

Black Sails Key Art Shoot 2015

[Descrição da imagem: Foto promocional de Black Sails. Todo o elenco de protagonistas está de frente para a imagem e sobre uma superfície de pedras com o mar ao fundo. Da esquerda para a direita, encontram-se John Silver (Luke Arnold), Capitão James Flint (Toby Stephens), Billy Bones (Tom Hopper), Charles Vane (Zach McGowan), Edward Teach (Ray Stevenson), Eleanor Guthrie (Hannah New), Anne Bonny (Clara Paget), Max (Jessica Parker Kennedy), Woodes Rogers (Luke Roberts), Mr. Scott (Hakeem Kae-Kazim) e Jack Rackham (Toby Schmitz).]

*Aviso de gatilho: estupro, tortura, violência gráfica.

A série, finalizada no domingo passado, é a mais famosa sobre a Época Dourada da Pirataria. Embora o fim esteja recente, já  está deixando enormes saudades naqueles que, como eu, a acompanhavam.

Ambientada 20 anos antes dos eventos que se sucedem no livro “Ilha do Tesouro”, de Robert Louis Stevenson, acompanha as aventuras do Capitão Flint (Toby Stephens) e sua tripulação. Em 1715, durante a Era Dourada da Pirataria, o temido Capitão Flint aceita em seu navio um certo John Silver (Luke Arnold) em meio à sua luta pela sobrevivência na ilha de New Providence. A atividade pirata na região cada vez mais ameaça os navios mercadores a serviço da Coroa Inglesa, levando ao combate entre a Marinha Real e os mais temíveis capitães piratas. Não somente a Inglaterra, como também outros governos, declaram a pirataria “inimiga da humanidade”. Em retaliação, os piratas decidem guerrear contra toda e qualquer forma de lei. Lutando contra um possível motim, Capitão Flint ruma em busca do tesouro do galeão espanhol Urca de Lima.

2. Livro: Por Estranhas Marés (1987), Tim Powers
O ano é o de 1718. O jovem John Chandagnac atravessa o Atlântico em direção ao Caribe para recuperar a rica plantação do pai, mas o seu navio é tomado por piratas. Atacando o capitão dos salteadores para vingar a morte de um amigo, acaba por ter de fazer a escolha da sua vida: ou morre ali mesmo, ou se junta aos piratas. Rebatizado de Jack Shandy pelos piratas, o herói mergulha num mundo que só conhecia das lendas: o da magia e aventura. Para piorar as coisas, a jovem que Jack ama de todo o coração seguia no mesmo navio. Primeiro, Jack terá de a salvar de um ocultista que a pretende sacrificar quando chegar ao Caribe. A seguir, terá que enfrentar o famigerado Barba Negra, que vê em Beth a companheira ideal para uma vida de sangue e rapina no mar. Incrivelmente talentoso na maneira como escreve as suas histórias, Tim Powers oferece-nos uma viagem fantástica a navios fantasmas, tripulações de zumbis, feitiçaria e ao segredo da Fonte da Juventude.

3. Livro: Latitudes Piratas (2009), Michael Crichton
Uma agitada história de aventura, pulsando com ação ininterrupta, numa atmosfera eletrizante e um suspense de acelerar o coração. Este é o mote de Latitudes Piratas, romance póstumo do norte-americano Michael Crichton, autor do seriado de sucesso E.R. – Plantão Médico e do best-seller O Parque dos Dinossauros. A história se passa na Jamaica, em 1665, e narra a expedição liderada por um corsário inglês para roubar um galeão espanhol. Nesse clima escaldante é preciso ganhar e, acima de tudo, preservar a vida, que pode terminar rapidamente, pela doença ou pelo punhal. O livro foi encontrado por um assistente de Crichton e traz todos os elementos que o transformaram em um autor de renome internacional.

4. Filme: Peter Pan (2003)

peter pan

[Descrição da imagem: Peter (Jeremy Sumpter) e Wendy (Rachel-Hurd Wood) estão de perfil, observando um feixe de luz amarelada que emana de uma árvore.]

Esse deve ser aquele filme que você já até cansou de tanto assistir na Sessão da Tarde. Mas sempre considero válido indicá-lo, especialmente por ser, até hoje, a adaptação mais fiel à obra de J.M. Barrie. E como boa fã de Peter Pan que sou, não canso de re-assisti-lo.

Peter Pan (Jeremy Sumpter), o garoto que se recusa a crescer, espreita a casa da família Darling na cidade de Londres, pois Wendy (Rachel Hurd-Wood), a mais velha dos filhos do casal, crê que ele exista e já convenceu seus irmãos, João (Harry Newell) e Miguel (Freddie Popplewell). Aproveitando a ausência dos pais de Wendy, Peter Pan vai até sua casa e ensina a Wendy, João e Miguel o que devem fazer para voar: pensar em algo bom e usar um pó mágico, que uma pequena fada, Sininho (Ludivine Sagnier), joga sobre eles. Peter leva as três crianças para um passeio na Terra do Nunca, uma ilha encantada que é o lar de Peter, Sininho, os Garotos Perdidos e um maquiavélico pirata, conhecido como Capitão Gancho (Jason Isaacs), que jurou se vingar de Peter. Gancho perdeu uma de suas mãos em um duelo com Peter Pan, com ela tendo sido comida por um crocodilo que agora segue sempre o navio do Capitão Gancho, pois quer comer o resto. Então tem início a história de Peter e seus amigos, passando por várias aventuras, lutando contra o ferrenho inimigo de Peter e incluindo ainda a descoberta do amor (até então desconhecido a Peter).

5. Livros: Vampiratas (2007-atualmente), Justin Somper
Para quem, assim como eu, gosta tanto de piratas quanto de vampiros e acharia uma junção dos dois no mínimo interessante, essa série de livros é excelente.

Sinopse do primeiro volume, Demônios do Oceano: 2505, litoral oeste da Austrália, em um lugar conhecido como Baía Quarto Crescente. É ali que os irmãos Connor e Grace partem, após a morte do pai, faroleiro da cidade onde viviam. Negando a serem adotados ou irem para um orfanato, decidem fugir pelo mar, no pequeno barco de seu pai. Contudo a sorte dos irmãos não melhora, pois quando conseguem se afastar da costa são pegos de surpresa por uma tormenta. A pequena embarcação não suporta e é partida em dois, jogando Grace e Connor nas águas em revolta. Os dois logo são resgatados, o garoto por piratas e Grace pelos lendários Vampiratas.

6. Livro: A Ilha do Tesouro (1883), Robert Louis Stevenson
De jeito nenhum esse livro poderia ficar fora da lista. A vida do jovem Jim Hawkins vira de cabeça para baixo depois que o marujo Billy Bones chega à estalagem de seu pai e, com ele, um mapa que indica a localização de um tesouro inimaginável, escondido por um pirata. Nessa missão, Jim descobrirá que são poucas as pessoas nas quais pode confiar. A Ilha do Tesouro, aventura contada por Robert Louis Stevenson, vem conquistando gerações de leitores por mais de 120 anos.

7. Filme: A Ilha da Garganta Cortada (1995)
Um dos filmes mais icônicos quando o assunto é piratas, A Ilha da Garganta Cortada é ideal para quem gosta de filmes trash e uma boa comédia.

O mapa de um fabuloso tesouro pirata enterrado foi cortado em três partes por um velho bucaneiro e dividido entre seus três filhos. Vários anos depois, na segunda metade do século XVII, um desses filhos passa a sua parte no mapa (que estava desenhada no seu couro cabeludo) para a sua filha (Geena Davis), uma aventureira ótima de luta e que tinha sua cabeça posta a prêmio. Auxiliada por sua tripulação, ela decide então encontrar o tesouro e o navio do seu pai, que agora são dela. Porém, sua parte no mapa está em latim, assim ela decide comprar um prisioneiro (Matthew Modine) para ajudá-la na tradução. Mas se ela ambiciona conseguir o tesouro, outros também têm a mesma ideia. Assim, ela passa a lutar com diversos inimigos (inclusive o governador), e só pode ter como aliados alguns membros da tripulação e seu prisioneiro.

8. Livro: A Ilha (1979), Peter Benchley
Blair Maynard, um jornalista nova-iorquino, decide escrever uma história sobre o desaparecimento inexplicável de iates e outras pequenas embarcações no Caribe, esperando desmentir teorias sobre o Triângulo das Bermudas. Ele decide levar seu filho Justin em uma viagem a trabalho para as ilhas Turcas e Caicos a fim de investigar o caso. Porém, enquanto pescavam, ambos são capturados por um bando de piratas. Os piratas, incrivelmente, permaneceram intactos desde a formação de seu território pirata por Jean-David Nau, o notório bucaneiro L’Olonnais, em 1671.

9. Mangá: One Piece (1997-atualmente), Eiichiro Oda

one-piece-1

[Descrição da imagem: Foto promocional do anime One Piece. No centro da imagem está Monkey D. Luffy. Ao fundo, da esquerda para a direita, encontram-se os personagens Sanji, Roronoa Zoro, Brook, Franky, Coby, Usopp, Tony Tony Chopper e Nico Robin, que juntos formam O Bando do Chapéu de Palha.]

A série começa quando Gol D. Roger, um homem conhecido como o Rei dos Piratas, declara que seu tesouro escondido, o One Piece, será de quem conseguir achá-lo. Então começa a Grande Era dos Piratas: vários bandos e novos piratas perigosos surgem, e organizações se formam. Vinte e dois anos depois da execução, seu tesouro, o One Piece estava escondido na Grand Line, o lugar mais perigoso do mundo. Em meio a tudo isso está Monkey D. Luffy, um garoto de 17 anos que deseja ser o novo Rei dos Piratas. Muitos desistiram da ideia de obtê-lo por achar isso impossível, enquanto outros questionam a veracidade de sua existência. Entretanto, os piratas ainda representam uma grande ameaça para a vida dos cidadãos de diversas partes do mundo e a Marinha se tornou o efetivo dispositivo de supressão ao fenômeno. Mas essa lacônica mudança não remove o espírito aventureiro dos Piratas do Chapéu de Palha, que viajam através da Grand Line (onde o fervor da Grande Era dos Piratas ainda é forte), em busca do tesouro de Roger. Embora os Chapéus de Palha frequentemente encontrem-se em apuros com outros piratas, eles ainda estão sofrendo com a perseguição do Governo Mundial e da Marinha, e atualmente todos os membros têm cabeça a prêmio.

10. Documentário: Os Verdadeiros Piratas do Caribe (2006), History Channel
Nesse especial de duas horas, o The History Channel narra a trajetória dos corsários mais famosos a navegar pelos mares da América Central. Em Os Verdadeiros Piratas do Caribe, o canal traz o que é mito e o que é real nas sagas de nomes como Barba Negra e William Kidd, que saqueavam portos, roubavam navios e representavam ameaça para a sociedade – inspirando filmes como a trilogia Piratas do Caribe. Encontra-se disponível dublado em português no YouTube.

11. Trilha Sonora: Piratas do Caribe (2003-atualmente), Hans Zimmer
Não é novidade para ninguém que, quando se trata de trilhas sonoras, Hans Zimmer é um dos maiores compositores da atualidade. E uma tão célebre quanto a de Piratas do Caribe não poderia ser esquecida – um dos fatores que mais chama atenção no filme são justamente as músicas que marcam os momentos de Jack Sparrow, Capitão Barbossa, entre outros. Responsável por todas as músicas dos quatro filmes lançados até agora (e também para o quinto filme, a ser lançado em breve), Hans Zimmer criou músicas icônicas e que representam, com a maior precisão, tudo o que significa ser pirata. “Hoist The Colours”, por exemplo, é de tamanha genialidade que expressa não somente a resistência dos piratas, mas também sua força. Vale a pena conferir essa e todas as demais músicas enquanto se lê algum dos livros presentes nessa lista. A discografia completa de Piratas do Caribe pode ser conferida aqui.

12. HQ: Isaac, o Pirata (2005), Christophe Blain
Isaac, um pintor iniciante e noivo de uma bela mulher, nutre desejos de se aventurar pelo mar e ficar reconhecido por pinturas que registrem grandes aventuras. A oportunidade surge quando é convidado por um estranho a sair em uma curta viagem a bordo de um navio mercante, encarregado de documentar toda a jornada em desenhos e pinturas. Ele então se despede de sua noiva com a promessa de voltar em breve, famoso e cheio da grana. O que Isaac não sabia, é que acabaria a bordo de um navio pirata numa longa expedição rumo à Antártida, comandado por um capitão obstinado em escrever seu nome na história com a descoberta de novas terras no continente gelado, objetivo perseguido por várias navegações a partir do século XV.

13. Filme: Os Goonies (1985)

os goonies

[Descrição da imagem: Da esquerda para a direita, Chunk (Jeff Cohen), Mikey (Sean Astin), Mouth (Corey Feldman) e Data (Jonathan’ Ke Huy Quan) encaram com espanto um mapa à frente deles.]

Outro grande clássico da Sessão da Tarde e impossível de ficar fora da lista.

Da imaginação de Steven Spielberg, “Os Goonies” nos apresenta uma turma de pequenos valentes, com uma surpresa em cada canto. Após encontrar um mapa do tesouro no sótão de sua casa, Mikey (Sean Astin), Brand (Josh Brolin), Mouth (Corey Feldman), Data (Jonathan’ Ke Huy Quan) e Chunk (Jeff Cohen) partem em busca do tesouro de Willy Caolho. Juntam-se a eles nessa aventura Andy (Kerri Green) e Stef (Martha Plimpton) mas, além das armadilhas deixadas por Willy Caolho por entre as cavernas e trilhas subterrâneas e de um antigo navio pirata cheio de dobrões de ouro, os garotos terão de enfrentar também uma família de bandidos italianos, os Fratelli. Para salvá-los resta somente o valente e destemido Sloth (John Matuszak), um amável monstro com um coração de herói.

BÔNUS – Recomendações de livros em inglês:
1. Daughter Of The Pirate King (2017), Tricia Levenseller
Livro do gênero young adult que conta a história da filha de um rei pirata, ainda sem data de lançamento no Brasil.

2. Pirate Spirit (2007), Jeffery Williams
Sem tradução para o português, o livro segue a história de vida de Anne Bonny e seus feitos durante os anos 1700.

3. The Pirate Hunter (2003), Richard Zacks
Sem tradução para o português, aqui é contada a história do Capitão William Kidd, um dos bucaneiros mais conhecidos da América.

4. The Girl From Everywhere (2016), Heidi Heiling
Ainda sem previsão de lançamento no Brasil, segue a história de Nix, que tem passado toda a sua vida navegando a bordo do navio de seu pai.

5. Under the Black Flag: The Romance and the Reality of Life Among the Pirates (1996), David Cordingly
Sem tradução para o português. David Cordingly é um dos maiores especialistas em história pirata da atualidade, tendo publicado diversos livros concernentes ao assunto. Em Under The Black Flag, o autor foca na pirataria ocorrente na América durante o século XVIII, explorando toda a realidade da vida pirata.

E aí, gostou da lista? Compartilhe sua opinião nos comentários!

Beatriz
meus textos | tumblr | goodreads | instagram
Contadora de histórias que sonha em viajar o mundo e estudante de Direito no resto do tempo. Viciada em séries e em pesquisar sobre mitologia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s