7 livros de contos de fantasia simplesmente fantásticos

7 livros de contos

[Descrição da imagem: Montagem na qual as capas dos livros “Depois do Fim” e “Excalibur”, da editora Draco e “Piratas”, da editora Cata-Vento, respectivamente, aparecem lado a lado.]

Dragões. Magos. Batalhas épicas. Viagens do tempo. Piratas navegando os sete mares. São vários os elementos épicos que caracterizam uma obra como fantasia, qualquer seja a forma na qual ela se apresente. A fantasia, embora já bastante consagrada nas artes, tem sido cada vez mais explorada e popular na cultura pop através de filmes, jogos, livros e séries que empregam a presença da ficção em seus enredos para atrair o público.

Não à toa que faz grande sucesso: às vezes tudo o que precisamos é de uma válvula de escape momentânea antes de enfrentar a dura realidade. A partir da fantasia, estimulamos nossa criatividade, despertamos nosso subconsciente, e recebemos toda a inspiração necessária para divagar, muitas vezes por terras e tempos distantes ou futurísticos, realizando uma imersão completa no fundo do nosso imaginário. Também se trata de algo inerente ao ser humano, manifestando-se com os sonhos.
O gênero é realmente querido por todos nós aqui do blog e frequentemente citado em seus diferentes formatos nas nossas resenhas e indicações. No primeiro post que escrevi, sobre os irmãos Grimm, contei um pouco sobre como cresci cercada de fantasia – algo que se deu especialmente devido ao meu interesse por mitologias e contos de fadas. Portanto, ele é definitivamente um dos meus gêneros favoritos, se não o favorito.

Não podemos nos esquecer, igualmente, de toda a fantasia e magia que possuímos no Brasil, cuja consolida-se em maior parte com o folclore originado nas tribos indígenas. Personagens como Curupira, Boitatá e Saci-Pererê, entre outros,  ilustraram a infância de muitos e posteriormente influenciaram também uma ampla corrente literária criada baseada nos mesmos, figurando em livros, poesias e, inclusive, contos. Afinal de contas, a fantasia se manifesta em inúmeras e encantadoras camadas, cada uma mais interessante que a anterior, tal qual um Pavê.

É justamente esse o assunto que trazemos no post de hoje. Realizamos uma seleção de sete livros que reúnem contos de fantasia e ficção criados e organizados por autores brasileiros ou em parceria com autores brasileiros, e nos quais os cenários de alguns deles é a nossa terrinha. Confira abaixo!

1. Dragões (2012), editora Draco
A coleção consta com 16 contos distintos com um único tema em comum: dragões. Os contos são compostos por Albarus Andreos, Alec Silva, Ana Carolina Pereira, Ana Cristina Rodrigues, André Soares Silva, Antonio Luiz M. C. Costa, Bruno Oliveira Couto, Cirilo S. Lemos, Elsen Pontual Sales Filho, Eduardo Barcelona Alves, Flávio Medeiros Jr., Karen Alvares, Kássia Monteiro e Pablo Amaral Rebello.

Sinopse: Os dragões guardam tesouros, são deuses dos céus e da terra, senhores dos elementos, criaturas ancestrais que raptam meninas nobres por puro capricho ou simplesmente lagartos gigantes que voam e cospem fogo. Mas ninguém pode negar que esses seres mitológicos são sinônimos da fantasia e da imaginação onde quer que apareçam.

Nas 16 histórias deste livro você encontrará dragões domésticos que atrapalham a vida alheia, homens-dragões guerreiros com poderes antigos, dragões humanoides que lutam kung fu, ou dragões disfarçados que se revelam quando menos se espera.

2. Crônicas de Espada e Magia (2013), editora Arte e Letra
O livro é uma colaboração das editoras Arte e Letra e Argonautas e intercala contos de autores brasileiros e estrangeiros.

Sinopse: Na antologia, organizada por Cezar Alcázar, foram reunidos contos de autores clássicos do gênero de Espada e Magia, bem como obras de novos escritores, entre brasileiros e estrangeiros. Michael Moorcock, Thiago Tizzot, Ana Cristina Rodrigues, Carlos Orsi, George R. R. Martin, Karl Edward Wagner, Max Mallmann, Robert E. Howard, Roberto Causo, Saladin Ahmed e Fritz Leiber são os autores que integram a seleção. O artista Kekai Kotaki, conhecido por suas ilustrações para diversos livros de Fantasia, RPG e para Magic: The Gathering, assina a arte da capa.

3. Fantasias Urbanas (2012), editora Draco
A antologia traz um tema muito interessante, tratando da fantasia urbana e trazendo histórias fantásticas que se passam na cidade grande.

Sinopse: O gênero fantasia vive um excelente momento no Brasil e no mundo, marcando presença nas listas de best-sellers, conquistando espaço na prateleira dos leitores e até despertando certa devoção. Sofrendo influência de gêneros que vão do policial ao terror, a fantasia é um território onde não há limites para a imaginação. Parte integrante desse sucesso, as cidades onde se passam as histórias acabam ficando tão conhecidas quanto os personagens que as habitam, entrando para o imaginário de seus leitores como verdadeiras referências. Fantasias Urbanas é uma visita guiada pelo organizador Eric Novello a mundos fantásticos muito diferentes entre si, mas todos com um ponto em comum: a união entre entretenimento e qualidade. Nove autores irão levá-lo por esse passeio: Ana Cristina Rodrigues, Antonio Luiz M. C. Costa, Carlos Orsi, Douglas Mct, Erick Santos Cardoso, José Roberto Vieira, Rafael Lima, Rober Pinheiro e Tiago Toy. Os destinos incluem encontros com reis, castelos e magia; visitas a necromantes vindos de Atlântida; julgamentos em sociedades movidas a vapor; fugas no meio de tiroteios, metamorfos e leões gigantes; paradas para descansar em uma cidade prisão com um homem-morcego e seu rei-máquina; tensões entre um casal em crise no meio de um apocalipse zumbi; descobertas de um mundo tomado por deuses, múmias e vampiros; e rituais sombrios de revirar as entranhas, tudo isso para para proporcionar uma excelente viagem.

4. Excalibur: Histórias de Reis, Magos e Távolas Redondas (2013), editora Draco
Uma das histórias mais contadas quando o assunto é fantasia, a narrativa sobre a vida do rei Artur e seus cavaleiros da Távola Redonda é apresentada com inúmeras inovações nessa antologia publicada pela editora Draco.

Sinopse: Todos já ouvimos falar do Rei Artur. Desde as crônicas medievais até a literatura contemporânea, passando por meios como o cinema, teatro, quadrinhos e games, muito foi contado sobre ele, seus cavaleiros e o mago Merlin, reinventando o universo mágico cujo centro é a corte do reino de Camelot.

A coletânea Excalibur – histórias de reis, magos e távolas redondas abraça esse imaginário, reunindo histórias inspiradas por versões das novelas de cavalaria e releituras contemporâneas, mas sem ignorar a sua origem na mitologia celta. O resultado é a diversidade de estilos, cenários e gêneros que vão da fantasia heroica ao dieselpunk, sempre unidos à atmosfera de magia e aventura que imortalizaram o Rei Artur.

Na liderança dessa missão pelo Santo Graal está Ana Lúcia Merege, que divide a Távola Redonda com um conto ao lado dos destemidos Roberto de Sousa Causo, Liège Báccaro Toledo, Luiz Felipe Vasques e Daniel Bezerra, André S. Silva, Pedro Viana, A. Z. Cordenonsi, Ana Cristina Rodrigues, Marcelo Abreu, Melissa de Sá, Octavio Aragão e Cirilo S. Lemos. Batalhas, encantamentos, amores, intrigas e traições – tudo isso e muito mais se revela a cada página de Excalibur, uma homenagem à fantasia medieval e aos heróis que nunca morrem.

5. Anacrônicas: Contos Mágicos & Trágicos (2015), editora Aquário Editorial
A antologia, escrita por Ana Cristina Rodrigues, apresenta vários contos contando com elementos típicos do gênero fantasia.

Sinopse: Neste livro, você vai encontrar histórias que falam de dragões, fadas, coelhos, anjos, demônios, sapos, duques, grifos, bruxas, sonhos e livros. Vai viajar para Avalon, para uma cidade-biblioteca, para a Borgonha medieval e, se encontrar o mapa certo, poderá conhecer a Terra das Fadas. Testemunhará histórias de amor, perda, vitória e mudanças. Só tome cuidado para não ser enganado pelo coelho. Ou para que uma traça não devore seu caminho.

6. Coletânea Piratas (2015), editora Cata-Vento
Claro que os piratas jamais iriam ficar de fora dessa lista. E a editora Cata-Vento, com a organização de Karen Alvares, publicou sobre eles uma coletânea completa, contando com diversos contos.

Sinopse: Você já sonhou em navegar pelos sete mares, enfrentando sereias e saqueando tesouros? Ou, quem sabe, você prefira uma dose de rum e um voo em um dirigível? Ou então viajar por mares antigos e misteriosos, vingando seu amor perdido, enfrentando abutres sanguinários, vendendo relíquias não tão preciosas assim? Ahoy, leitor, então seja bem-vindo a bordo de piratas, um navio onde dez grandes autores se reúnem para contar as histórias mais incríveis de todos os mares sobre… Piratas, é claro! Içar velas, marujos! Vamos partir rumo à aventura!

Dez escritores participam da antologia: Claudia Dugim, Ana Lúcia Merege, Paola Siviero, J. M. Beraldo, Fabiana Madruga, Melissa de Sá, Sabrina Mota Marcondes, Luana Tsuki, Albarus Andreos e Karen Alvares.

7. Depois do Fim (2014), editora Draco
Mais uma antologia organizada por Eric Novello, é basicamente um passeio pela destruição que restou da presença humana em um mundo distópico.

Sinopse: A fantasia e a ficção científica crescem cada vez mais no Brasil e no mundo, ganhando inúmeras adaptações para o cinema e até despertando certa devoção entre os fãs, como se os personagens fossem pessoas reais e seus destinos estivessem de fato em nossas mãos. Ao lado da literatura de terror, formam uma tríade onde tudo é possível e a única regra é ter muita imaginação. Recentemente, as distopias têm levado esse sucesso a um novo patamar, marcando presença constante com seus romances na lista de best-sellers.

Depois do Fim é um tour pelas terras inóspitas das distopias, pela aventura constante e o humor amargo de quando o que está em jogo é a nossa sobrevivência. Após levar os leitores a visitarem cidades fantásticas na coletânea Fantasias Urbanas, Eric Novello reúne oito novos autores que tinham como armas de batalha a qualidade, a criatividade e o entretenimento. Blanxe, Nazarethe Fonseca, Cirilo S. Lemos, Eduardo Kasse, Diogo de Souza, Gerson Lodi-Ribeiro, Marcelo A. Galvão e Alliah, que participa também com uma narrativa visual.

Sobrevivendo a monstros no fundo do oceano e a provas de resistência em estufas mecanizadas, a ringues de boxe onde se luta pelo direito de sonhar e a castelos sitiados por invasores cruéis, escapando de conflitos entre deuses vingativos e de cangaços violentos onde a bala é a lei, correndo por campos dominados por vampiros ou por cidades melancólicas, só nos resta responder à pergunta: o que acontece depois do fim?

Beatriz
meus textos | tumblr | goodreads | instagram
Contadora de histórias que sonha em viajar o mundo e estudante de Direito no resto do tempo. Viciada em séries e em pesquisar sobre mitologia.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s