11 motivos para vibrar com o financiamento coletivo

Apoios coletivos, crowdfundings, vaquinhas online, etc. São todos nomes que vêm se tornado mais correntes na cena da produção cultural, entre outros âmbitos. Apesar de não ser nenhuma especialista no assunto, decidi abordar, nessa sexta livre-leve-e-solta– doida pra beijar na boca, um pouquinho das minhas experiências positivas com os financiamentos coletivos na internet enquanto consumidora (já que nunca fui responsável por criar algum projeto do tipo).

A ideia básica dos financiamentos coletivos é muito simples. Aquela velha vaquinha que faz dar certo o churrasco, o aniversário surpresa das amigas, a produção de um zine caseiro por um grupo de estudantes, entre outras coisas, só que elevada a uma coletividade bem maior e com projetos bem mais ambiciosos. No âmbito do financiamento coletivo online, no lugar do churrasco temos o início de uma empresa, do aniversário temos uma tecnologia inovadora, da zine caseira temos uma série de quadrinhos. As possibilidades de uso do financiamento coletivo são imensas. E o melhor: dão certo.

Acredito que essa modalidade abriu muitas portas para diversas produções culturais que provavelmente não conseguiriam outra forma de patrocínio. O mercado, no geral, não é essa coisa tão bonita que dá oportunidades para todos se realmente se esforçarem, oferece diversas opções para todo tipo de consumidor ou coisa do tipo.

Na realidade, focando aqui no debate de cultura, o mercado é extremamente excludente. Afinal, vai procurar lucrar com a cultura e, quando se quer lucrar, se procura aquilo que é mais seguro, ou seja, o que reproduza o status quo. Então são deixadas de lado produções diferentes, mais preocupadas com a diversidade, a representatividade, com estilos mais questionadores e críticos, ou mesmo produções que não sejam tão diferentes do comum mas que sejam realizadas por sujeitos marginalizados por seu gênero, raça, região, classe e afins.

Nesse sentido, acredito que a tal da vaquinha online pode driblar essas preferências “lucrativas” e proporcionar que outros tipos de produções culturais sejam bem sucedidos. Claro que nem todos os financiamentos que dão certo são assim tão descolados e legais, mas muitos o são e é isso que temos que valorizar.

Indo para a real ideia desse post, vou listar alguns projetos que deram certo e alguns que ainda estão pra dar mas que parecem muito bons (afinal, uma parte grande do financiamento é apostar naquilo que você acha que vai dar certo e considera legal ou importante). Escolhi projetos de três sites diferentes, o Catarse, Padrim e Apoia.Se. Existem muitos outros, mas a maior parte das minhas experiências são com esses. O Catarse é o financiamento coletivo “típico”. Você ajuda a financiar projetos que irão resultar em alguma cultural “final”. Livros, filmes, quadrinhos, séries, etc. Já o Padrim e o Apoia.Se são sites de financiamento coletivo recorrente. Podem resultar em produtos, mas estes virão sempre todos os meses em que for atingida a meta.

Enfim, depois de uma não tão breve introdução, vamos à lista!

CATARSE – Financiados!

1 – REVISTA TRASGO ANO 1

“A Trasgo é uma revista online que em três anos já publicou contos de mais de 60 autores e autoras brasileiros. Agora queremos transformar o material publicado no primeiro ano da revista em um livro físico, e para isso precisamos de você.

[…] Já publicamos autores conhecidos da ficção de gênero no Brasil, além de figuras populares da autopublicação e claro, temos orgulho em ser a primeira casa de muitos estreantes.

A Trasgo publica suas edições em EPUB, MOBI e PDF gratuitamente, e vêm recebendo diversos elogios da comunidade literária de fantasia e ficção científica.”

2 – JOGO TRAJES FATAIS

“Durante uma festa a fantasia, uma misteriosa divindade concede poderes aos convidados de acordo com os trajes que estão usando. Agora, eles precisam demonstrar esses poderes através de um torneio cósmico, caso queiram se libertar da prisão mágica.

Essa é a premissa de Trajes Fatais, um jogo de luta para PC em pixel art desenvolvido pela Onanim, com mecânica acessível e animações 2D de alta qualidade remetendo aos grandes clássicos do gênero.

Sinta-se convidado!”

3 – WEBSÉRIE SEPTO

Essa aqui é potiguar, da terra onde moro \o/

Septo é o projeto de uma websérie de ficção sobre Jéssica Borges, uma triatleta potiguar saudável, recordista e de carreira promissora que tem uma vida regrada e controlada pelo seu pai.

Numa das manhãs de treino, após receber a notícia de que será convocada para as Olimpíadas, ela passa mal em mar aberto e é socorrida por Lua, dona de um albergue nas proximidades e que também funciona como escolinha de surf.

O encontro com uma pessoa tão independente e dona de si fará com que Jéssica repense uma vida inteira aprisionada em abdicação dos seus desejos e felicidade artificial programada. Nesse mundo, quando morremos, só levamos os dedos, as mãos, o peito aberto; os anéis, as medalhas e os troféus sempre ficam.

Septo retrata a caminhada de Jéssica para se tornar uma versão melhor de si mesma. É sobre decidir ser feliz e assumir o peso e responsabilidade dessa felicidade, deixar de lado o que não acrescenta e buscar o que nos faz ser mais.”

4 – QUADRINHO ESQUADRÃO AMAZÔNIA

“O Esquadrão Amazônia é um grupo de heróis brasileiros criado por Joe Bennet no início dos anos 2000, cuja principal característica é ser baseado em conceitos e lendas da região amazônica.

A ideia foi um sucesso na época tendo angariado um grande número de fãs que sempre pediam por uma continuação para a história daqueles heróis.

[…] A proposta de revitalizar a equipe, contando sua origem em uma história inédita surgiu no início deste ano, em uma conversa entre os quadrinistas Joe Bennet e Alan Yango. Um rascunho da aventura foi criado e decidiu-se por realizar o projeto através de financiamento coletivo, o que nos traz até aqui.”

CATARSE – Vamos financiar!

5 – LIVRO DE FOTOGRAFIAS 100 MULHERES CABULOSAS DA HISTÓRIA

A imagem pode conter: 5 pessoas, pessoas sorrindo, noite e texto

“Já pensou um livro que reúna a imagem e a história de mulheres cabulosas?

Já pensou esse livro nas escolas, bibliotecas públicas ou na estante da sua casa?

Mulheres Cabulosas da História é um projeto que faz releituras fotográficas e resgata a vida de corajosas e poderosas mulheres, com histórias inspiradoras. Muitas foram pioneiras na política, na ciência, nos meios artístico e nas revoluções, entretanto seus nomes foram ignorados e, até mesmo, apagados da história.

Por isso, as mulheres do Levante Popular da Juventude decidiram criar um livro que retrate a imagem e a biografia de ‘100 Mulheres Cabulosas da História’, para homenagear essas mulheres memoráveis e dizer que suas lutas e conquistas se fazem presentes nas nossas vidas.”

6 – QUADRINHO SALTO

História em quadrinhos de Rapha Pinheiro

Salto é uma Fantasia Steampunk, escrito e desenhado na França quando eu estava morando em Angoulême para estudar quadrinhos.

O livro conta a história de Nu, um habitante de uma cidade subterrânea onde todos são feitos de fogo. Eles vivem nessa cidade por medo da chuva que assola o mundo exterior e dependem de uma fábrica de oxigênio para manter suas chamas acesas.

Depois de testemunhar algo que não devia, Nu é obrigado a deixar a civilização e se aventurar na caverna onde descobre um segredo que pode mudar a vida de toda a cidade.

O primeiro capítulo dessa história foi publicado numa antologia na França no primeiro semestre de 2017, agora eu pretendo usar o Catarse para trazer o projeto pro Brasil.”

7 – FILME FAÇA VOCÊ MESMA

Este é um filme sendo feito por uma equipe majoritariamente de mulheres, investindo seu tempo e força em algo que nós acreditamos e acreditamos que quando fazemos história podemos mudar realidades. Estas histórias até hoje não possuem um registro, sabemos que há milhares de mulheres no meio da música mas, quando surgem nomes para referências quais vem primeiro em sua mente?

Este é um inédito registro de mulheres e garotas fazendo uma cena musical desde o início dos anos 90.

Quer ver mais mulheres protagonistas nas histórias? Vem com a gente conhecer este projeto que envolve empoderamento feminino e música com muita sororidade.

PADRIM – Financiamento contínuo

8 – REVISTA TRASGO

“A Revista Trasgo, já no seu quarto ano de atuação, é uma revista de contos de ficção científica e fantasia em língua portuguesa, disponível online e em e­books. A revista é trimestral, com conteúdo de autoras conhecidas e iniciantes, que podem enviar o material para avaliação pelo site. A Trasgo busca preencher uma lacuna de publicações de qualidade deixada por uma série de revistas de contos editadas nas décadas passadas.

Cada edição traz seis contos, num cardápio variado de ficção científica e fantasia, de diversos estilos e ritmos de escrita.

A Trasgo é uma revista independente, não relacionada a nenhuma editora.”

9 – PADRIM DO ESCRITOR ERIC NOVELLO

Apoio para ser “padrim” do escritor brasileiro Eric Novello, autor de Ninguém Nasce Herói, Exorcismos, Amores e Uma Dose de Blues, Neon Azul, entre outros. Basicamente, funciona como uma forma de ajudar o autor a não precisar dedicar tanto seu tempo com formas de sustento que não a escrita e ter um laço mais próximo dos leitores, através das recompensas, a exemplo de contos exclusivos.

APOIA.SE – Financiamento contínuo

10 – ZINE BOBAGENS IMPERDÍVEIS

Zine da autora Aline Valek.

Bobagens Imperdíveis nasceu como uma cartinha virtual que, por três anos, de 2013 a 2016, chegou por e-mail todas as manhãs de sábado para leitores tomando café ainda com remela na cara, com textos para inspirar, divertir e questionar.

Depois de 129 edições cheias de ficção, causos da vida real, conversas leves e papos seríssimos, Bobagens Imperdíveis começa um novo capítulo em sua história: se antes chegava aos leitores por e-mail, agora chegará todos os meses à sua casa, em forma física, para você poder abraçar, cheirar, fazer origamis e até ler, se quiser!

A zine de Bobagens será mensal e a produção é super autoral, como sempre foi: tudo escrito, ilustrado e produzido por mim.

O conteúdo segue a linha editorial que conquistou milhares de leitores: contos, crônicas, textos sobre criatividade e escrita, ciências e artes, sociedade e comportamento, cultura pop e literatura, curiosidades e besteirinhas.

Além de textos sobre os mais variados assuntos, ficcionais ou não, a zine também contará com ilustrações, histórias em quadrinhos, desenhos para você colorir e o que mais minha imaginação mandar.”

11 – REVISTA DRAGÃO BRASIL

Dragão BrasilÉ bem possível que você a conheça.

Também é bem possível que você tenha começado a jogar RPG graças à Dragão Brasil.

Nascida em 1994, Dragão Brasil foi a primeira revista mensal brasileira especializada em jogos de RPG. Durante mais de uma década, apresentou ao país este jogo especial com livros, dados e imaginação — um passatempo ainda difícil, restrito a poucos fluentes em língua inglesa e com acesso a livros importados.

[…] A Dragão está de volta. Nesta nova fase, é uma revista digital, em formato PDF, ajustada para leitura na tela do computador.

Cada edição terá 50 páginas. Isso pode aumentar, se estivermos bonzinhos ou alcançarmos determinadas metas (veja ao lado), mas nunca diminuir. A periodicidade é mensal, e a data de lançamento é sempre a última quarta-feira de cada mês.

Sobre o conteúdo, espere por artigos e matérias sobre RPG e cultura nerd: games, quadrinhos, séries, literatura fantástica, cards, jogos de tabuleiro e o que mais aparecer por aí. A primeira encarnação da Dragão criou uma geração inteira de nerds e geeks, e esta nova fase vai honrar esse legado!”

É isso, galera! Essa pequena listinha traz muito daquilo que gosto e da minha subjetividade, tendo como intenção muito mais estimular que outras pessoas procurem visitar os sites de financiamentos coletivos, explorarem por si mesmas para se aventurar e arriscar a apostar na cultura!

Marina
meus textos | filmow | skoobMilitante do Levante Popular da Juventude, de esquerda, feminista, lésbica e afrontadora da família tradicional brasileira. Nas horas vagas, estuda Direito, devora quadrinhos, lê livros, assiste filmes e algumas séries.
Anúncios

Um comentário sobre “11 motivos para vibrar com o financiamento coletivo

  1. Pingback: HQ Alho Poró da Bianca Pinheiro | Pavê

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s