3 livros pra te ajudar

O Palê de hoje tá com carinha daquelas seções de autoajuda, mas não se assusta, tá? Esse é um post do bem, feito com muito amor no coração para tentar ajudar quem tá com o coração apertado, se sentindo meio perdido, vazio ou que, talvez, só quer tentar um tipo de leitura diferente. Se aconchega na cadeira que esse post é pra você.

pave

  1. A Arte de Pedir: Ou como aprendi a parar de me preocupar e deixar que os outros que me ajudem (Amanda Palmer)Pra quem não conhece, Amanda Palmer é uma artista mais conhecida por seu trabalho como vocalista e pianista da banda The Dresden Dolls. O seu livro A Arte de Pedir é derivado do seu TED talk de mesmo nome, e nele Amanda fala sobre a sua trajetória profissional, que começou como estátua viva até chegar a pessoa que conhecemos hoje. Alguns dos questionamentos dela são: como viver (ter renda, pagar as contas, comprar comida, etc.) sendo artista, como não se sentir envergonhada por não ter um “emprego de gente grande” e como fazer as pessoas acreditarem na sua arte.Parece bem bobo e fútil quando comparado com a quantidade de problemas reais que temos que lidar, mas pra quem trabalha com criatividade essas são questões que fazem parte do seu dia a dia; e, mais, acho que as histórias de Amanda se aplicam a todos os tipos de emprego, afinal o mote do livro é como aprender a pedir ajuda e deixar que os outros te ajudem então no final tem coisas práticas que podemos levar conosco.
  2. Alucinadamente Feliz: Um livro engraçado sobre coisas horríveis (Jenny Lawson)O segundo livro dessa listinha é exatamente o que seu título prometo e, por isso, é diferente de tudo que você espera. Alucinadamente Feliz realmente é um livro engraçado sobre coisas horríveis, e estas coisas horríveis sobre as quais Jenny fala são transtornos mentais entre os quais ela possui transtorno de ansiedade grave, depressão clínica moderada, distúrbio de automutilação brando, transtorno de personalidade esquiva e tricotilomania.A maneira com que Jenny lida com a sua saúde mental é de onde vem o nome do seu livro, ela tenta criar o maior número possível de momentos intensamente felizes mesmo que, depois deles, ela passe uma semana sem conseguir sair da cama. Mas acredito que a melhor parte do livro, principalmente para aqueles que também sofrem com distúrbios mentais, é ver que Jenny não tem nenhuma vergonha em dizer que tem todos esses problemas, sim, e daí? Acho que essa atitude de Jenny a gente, que também sente tudo isso, tem que levar pra vida; e pra quem não tem nenhum transtorno mental, o livro é ótimo pra criar aquela famosa empatia, sempre tão necessária.
  3. Perdão, Leonard Peacock (Matthew Quick)O último livro é um pouco diferente dos dois primeiros, mas é tão importante quanto. Perdão, Leonard Peacock é um livro de ficção escrito por Matthew Quick, autor de O Lado Bom da Vida. A obra conta a história do pré-adolescente Leonard Peacock no dia do seu aniversário de 18 anos, o dia no qual ele escondeu uma arma dentro da bolsa e foi para o colégio com o objetivo de matar o seu ex-melhor amigo e, depois, cometer suicídio. Mas antes disso, ele precisa se despedir das quatro pessoas mais especiais na sua vida.Tudo se desenrola dentro das 24 horas do aniversário de Matthew, e isso é o bastante para conhecer e se apegar aos personagens. Cada encontro de Leonard com as suas quatro pessoas especiais faz com que a narrativa se aprofunde e a motivação de Leonard se torne clara. Apesar do tema do livro ser extremamente denso, o autor consegue trabalhá-lo de forma leve, sem tornar a história rasa e ainda consegue introduzir doses bem administradas de humor ao longe das páginas. Por tratar de um tema sensível, aconselho cuidado na hora da leitura. A primeira vez que li Perdão, Leonard Peacock eu não estava nada bem e essa história ajudou a me trazer de volta pra luz. Mas cada pessoa é diferente, então vamos com calma.

Por hoje é isso. Quis compartilhar com vocês alguns livros que me ajudaram, e sempre ajudam, em momentos difíceis. Espero que a experiência de vocês com eles seja tão boa ou melhor do que a minha. E tem algum livro nessa vibe pra indicar? Deixa um comentário e conta pra gente. Vamos se ajudar.

Rebeca de Arruda
meus textos | twitter | goodreads
Social Media, graduada em Jornalismo, entusiasta do k-pop e doramas. Lê livros demais, vê séries demais e uns filminhos também. Vive para problematizar (e amar) a cultura pop — e também para enaltecer The Shannara Chronicles!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s