Shimmer Lake é um suspense despretensioso

MV5BZGQ0OWFhNTgtYTJiOS00MDU1LTg2MTgtZTU5NzQ4Yjg0YzkxXkEyXkFqcGdeQXVyNjEwNTM2Mzc@._V1_SX1777_CR0,0,1777,999_AL_

Segundo uma teoria extremamente complexa – não – criada por mim e minha mãe, existem pelo menos dois tipo distintos de diversão, o primeiro tipo nós costumamos chamar de “diversão cabeça”, e o segundo, e também meu preferido, a “diversão despretensiosa”. O post de hoje vai dar uma ótima dica do segundo tipo de diversão.

Continuar lendo

Pavê de Vó: você lembra de Guerreiros da Virtude?

Tem uns filmes que são tão presentes na nossa infância que dá uma nostalgia incrível só de lembrar deles, né? Quando penso em filmes assim, Guerreiros da Virtude é um dos que surgem na minha memória. Havia algo de mágico sobre um garoto caindo de um cano e cangurus guerreiros, o que tornava praticamente impossível não sentar pra assistir essa aventura até o final toda vez que passava na televisão. E é justamente sobre essa grande obra clássica que vamos falar no Pavê de Vó de hoje!

gv

Continuar lendo

Um lembrete: Ler não precisa ser um desafio

Mês passado, Tessa Dare, autora presente na lista de bestsellers do New York Times , fez uma thread no Twitter (em inglês) falando sobre a ideia de que leitores devem ser “provocados” quando resolvem ler um livro de romance uma vez que a Vida Real™ não é feita apenas de flores. Tessa começa sua série de tweets convidando o leitor a imaginar-se em um clube de comédia em que o comediante, em vez de contar piadas, mostra um vídeo revoltante. Quando a platéia reage, ele diz “Vocês devem ser desafiados! A vida real nem sempre é engraçada!”.

O ponto desse cenário é que tanto a platéia fictícia do comediante diferentão quanto os leitores de romances SABEM que a vida real nem sempre é hilária ou um caminho de flores. Nós todos sabemos disso. E esse é, justamente, o motivo pelo qual escolhemos assistir uma apresentação de comediantes ou ler um livro de romance em que tudo dá certo no final. Nós sabemos o que vai acontecer – não os detalhes, claro, mas temos uma ideia geral – e é isso mesmo que a gente está procurando. E não tem absolutamente NADA DE ERRADO NISSO.

Escolher um romance que acaba bem, por mais dramático que ele possa ser, é escolher passar seu tempo de lazer atrás de otimismo. Independente do motivo pelo qual você escolheu aquela história, você sabe que as chances de coisas boas saírem dali são altas. E é isso mesmo que você está procurando. Como a própria Tessa Dare diz em seu thread, você está comprando um “ingresso para felicidade”. Sua próxima leitura pode ser um livro de terror, um suspense, um romance policial ou – por que não? – outro romance. Não importa. Naquele momento que você escolheu ler sobre pessoas se apaixonando, você escolheu o que você quer ler. Você não precisa ser “desafiado”.

ler não precisa ser um desafio

Continuar lendo