Os melhores lançamentos de k-pop: janeiro e fevereiro

Demorou, mas o k-pop voltou para o Pavê. E voltou trazendo o melhor que rolou nesses dois primeiros meses de 2018. Segura o coração porque teve muito lançamento bom, e para todos os gostos. Então se aconchega na cadeira e vem com a gente para conferir os melhores lançamentos até o momento.

Screenshot-1093

O ano de 2018 começou trazendo muita coisa boa para quem ama girlgroups. Entre os destaques, temos Red Velvet, MOMOLAND e BoA. Mas os boygroups também estão na nossa lista, tá? Teve coreografia sincronizadíssima e música para curar coração machucado. Agora vamos começar essa lista!

1. Red Velvet – Bad Boy

Esse é o meu lançamento favorito entre os girlgroups até o momento. O Red Velvet tem dois conceitos: o red, no qual elas exploram um lado mais divertido e o velvet, que mostra o lado mais maduro do grupo — um bom exemplo do conceito red é a música Red Flavor e do velvet, o single Peek-A-Boo.

A faixa Bad Boy trabalha o lado velvet das meninas. A letra fala sobre gostar de um bad boy e fazer ele se apaixonar por você: é bem parece que jogo virou mesmo. A sonoridade misturando R&B e trap adicionam sensualidade à canção, e o uso sutil de sintetizadores tornam a faixa dançante, mas sem exageros.

Os vocais excelentes do grupo, principalmente da vocalista principal Wendy e dançarina principal Seulgi se destacam por mostrarem controle durante toda a canção. Mas é na harmonização durante o refrão viciante de Bad Boy que podemos ouvir o por quê do sucesso tão grande do Red Velvet.

2. iKON – Love Scenario

2017 não foi um ano muito bom para o boygroup mais novo da YG Entertainment. Com dois singles esquecidos no churrasco pelo mercado sul coreano, confesso que fiquei apreensiva quando eles anunciaram que voltariam em fevereiro com um álbum completo. Mas minhas preocupações sumiram assim que ouvi Love Scenario, single do novo álbum intitulado Return.

Love Scenario é a faixa mais distinta da discografia do iKON. Desde o seu debut o grupo tem sido vendido como um grupo de hip hop com as raízes fincadas no trap. Mas no seu novo lançamento, o iKON apostou numa batida mais rítmica, no estilo cowbell, e se ancorou nos vocalistas que até então tinha sido subutilizados.

Segundo B.I., líder do grupo e compositor da faixa, Love Scenario é inspirada no final ambíguo do filme La La Land, e mesmo se você não entender coreano (ou não quiser se dar o trabalho de pesquisar a tradução) vai conseguir sentir a melancolia e a confusão que inspiraram a música.

Outro ponto de destaque são os vocais diversos do grupo — Jinhwan, Junhoe, Donghyuk e Yunhyeong fazem a canção ganhar vida junto com a batida produzida por B.I que assim como o filme deixa você esperando uma coisa, mas não entrega; o que poderia ser ruim, mas no caso de Love Scenario faz com que você não consiga parar de ouvi-la.

3. MOMOLAND – BBoom BBoom

O MOMOLAND é um girlgroup relativamente novo e que alcançou a fama por causa de um fancam que se tornou viral. Tudo começou quando as meninas participaram de um concurso para se apresentar com Hong Jinyoung, uma das cantoras mais famosas da Coreia. O MOMOLAND ganhou o concurso e ao subir no palco, a integrante Jooe acabou chamando mais atenção do que a atração principal.

Jooe ficou conhecida por sua dança engraçada e cheia de energia, e, sabiamente, Jooe e sua gravadora aproveitaram a atenção para promover o MOMOLAND. BBoom BBoom é produzida por Shinsadong Tiger, responsável pelos hinos Bubble Pop! (Hyuna) e Up & Down (EXID), e com o novo lançamento do MOMOLAND ele conseguiu produzir uma versão refinada da apresentação que tornou Jooe famosa: o acústico no começo lembra uma canção trot (gênero que tornou Hong Jinyoung famosa) e depois a canção explode numa batida EDM perfeita para Jooe mostrar mais dos passos de dança que a tornaram um sucesso comercial.

4. BoA – One Shot, Two Shot

BoA é a maior artista solo da Coreia do Sul. O seu debut aconteceu quando ela tinha apenas 14 anos e hoje, 18 anos depois, ela detém o título de rainha do k-pop. Com One Shot, Two Shot ela conseguiu mostrar o amadurecimento que apenas uma artista com a carreira como a de BoA é capaz e provar que mesmo depois de 18 anos, ela continua se reinventando e se mantendo relevante no cenário k-pop.

One Shot, Two Shot é a mistura perfeita entre o experimental e a música pop. Ao ouvir pela primeira vez ela soa um pouco experimental demais, porém esse é um estilo que a SM Entertainment tem trabalhado bem com seus artistas solo e ainda mais perceptível em Free Somebody, trabalho solo de Luna, integrante do f(x).

A experimentação é essencial para uma artista do porte de BoA, mostra que ela não está parada no tempo e que está disposta a sair de sua zona de conforto para competir com artistas menos experientes porém com uma fanbase muito maior que a sua.

One Shot, Two Shot é uma faixa que se ancora na electro-house, que tem uma forte base dos anos 80, e que vai construindo lentamente até atingir o seu refrão marcado por sintetizadores que mudam o ritmo da música, transformando-a no cenário perfeito para as performances de dança extremamente bem executadas de BoA.

5. MXM – Diamond Girl

O duo MXM tem origem no programa Produce 101, um survival cujo objetivo é montar um grupo de k-pop com 11 integrantes a partir de 101 trainees das mais diversas empresas. Apesar de Donghyun e Youngmin não terem ganho o programa, eles conseguiram bastante atenção e, com isso, veio a chance de debutar.

Diamond Girl é o segundo single do MXM e em vários aspectos parece ter saído direto dos anos 80 — o ritmo funk, os sintetizadores e a guitarra rítmica contribuem para isso, mas a faixa checa todos os quesitos necessários para ser uma canção pop de sucesso em qualquer ano.

Os vocais suaves e estáveis de Donghyun e o rap fluido e repleto de swag de Youngmin fazem a faixa brilhar ainda mais, e eles parecem ainda mais confortáveis com o funk de Diamond Girl do que na faixa totalmente pop I’m The One. O rap de Youngmin sempre chama bastante atenção devido à sua voz grave, mas dessa vez a voz de Donghyun se destacou e as harmonias no refrão quando eles cantam “treat you like a gentleman, like a gentleman” vão te fazer dançar mesmo depois que você termina de ouvir a canção.

6. NCT U – Baby Don’t Stop

O NCT U é uma das muitas subunits (ou subgrupos, se preferir) do NCT, que nós já citamos em outro post. Tratando-se de uma subunit com integrantes rotacionais, cada lançamento é uma surpresa e Baby Don’t Stop é a primeira vez que o NCT U aparece como um dueto, composto por Taeyong e Ten, os dois dançarinos principais do NCT.

A partir dessa combinação de integrantes os fãs esperavam uma música focada totalmente em performance, e apesar da música ter uma performance forte com uma coreografia marcante e fluida, Baby Don’t Stop é muito mais que isso. A faixa é a mais melódica já lançada pelo NCT e uma das melhores, também.

Baby Don’t Stop é uma canção com diversas camadas e com base no potente house que marcou BOSS, lançamento anterior do grupo. Mas enquanto BOSS mantém o ritmo forte do começo ao fim, Baby Don’t Stop é quase como uma hipnose; o refrão é construído a partir do sussurro de Taeyong até que ele se une aos vocais de Ten, que até o momento tinham sido subutilizados no grupo, mas que ganham destaque na faixa e o consolidam como um dos melhores vocalistas do NCT.

7. Seventeen – Thanks

O Seventeen é um dos poucos boygroups que apesar de relativamente novo, já tem a sua marca estabelecida. E o que o grupo sabe fazer bem é misturar as tendências atuais com o passado. Eles já provaram isso em faixas mais funk como Very Nice e recentemente têm lançado faixas EDM com mudanças de ritmo inesperadas, e que são perfeitas para o grupo executar a sua coreografia afiada.

Thanks soa como uma continuação de Don’t Wanna Cry, single anterior do grupo, mas isso não quer dizer que a canção não é inovadora. Ela mostra o amadurecimento de Woozi, vocalista e compositor do grupo, e também expõe a força do trabalho em grupo do Seventeen.

Cada mudança no ritmo de Thanks serve para mostrar o ponto forte dos treze integrantes e enquanto a individualidade de cada um deles brilha na faixa, são nos momentos em que eles cantam juntos — como no verso de rap de S.Coups e Wonwoo, que Thanks atinge o seu ponto alto. O Seventeen chega ao seu quarto ano de atividade com o pé direito, solidificando o seu status como um dos principais boygroups da Coreia e um dos mais inovadores.


Essas são as minhas escolhas entre os vááários lançamentos de k-pop que rolaram nesses dois primeiros meses. Quais músicas estão na sua playlist? Conta pra gente.

Rebeca de Arruda
meus textos | twitter | goodreads
Social Media, formada em Jornalismo, entusiasta do k-pop e doramas. Lê livros demais, vê séries demais e uns filminhos também. Não faz amizade com quem não curte k-pop. Vive para problematizar (e amar) a cultura pop.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s