Você conhece a lenda do Ipupiara? Um conto por H. Pueyo

Se você é desses que adora ouvir histórias cheias de brasilidade, com lendas e criaturas do nosso folclore brasileiro, veio ao lugar certo.

O post de hoje é o conto “Ipupiara”, escrito pela H. Pueyo e publicado na 15ª edição da revista Trasgo – uma revista online trimestral de contos de ficção científica e fantasia, trazendo sempre autores e artistas brasileiros. A Mamá já falou deles nesse post, sobre o projeto de trazer o material em meio físico também.

Para quem está se perguntando quem é Ipupiara, é claro, recomendo muitíssimo a leitura do conto. Mas só para dar uma contextualização, é uma espécie de monstro marinho que fazia parte da mitologia de dos povos tupis que habitavam o litoral do Brasil no período de colonização. Diz a lenda que ele foi encontrado e morto na capitania de São Vicente. Tanto é, que tem uma estátua lá da figura até hoje. A Sol até já mencionou isso no twitter uma vez.

E que meio mais divertido, intrigante e fascinante conhecer lendas brasileiras por meio de uma história? Em um jeitinho bem brasileiro? O conto do Ipupiara escrito pela H, Pueyo começa com dois homens, Isidoro e Andirá, no período de Brasil-Colônia. Isidoro, um português recém chegado e coletor de impostos, contratou Andirá, cabloco e filho de um bandeirante, para leva-lo ao interior, com o intuito de apadrinhar o filho recém-nascido de uma prima.

jJHol7hj.jpg

[Descrição da imagem: Ilustração do Ipupiara, com forma humana e o tronco fora da superfície, no meio de um rio com uma cachoeira, rochas e galhos de árvore ao seu redor. Arte por Dante Luiz.]

Continuar lendo

Anúncios

Procurando contos de Natal bem brasileiros e com personagens LGBTQ+? Que tal Todas as cores de Natal?

todas as cores do natal

Não é novidade que eu adoro ler contos de autores independentes – e falar sobre eles. Aqui no blog, já resenhei história de terrorde romance contemporâneo e com personagens do nosso folclore, e tô sempre procurando outros tantos pra conhecer novos autores ou só pra ter algo pra ler quando aquela preguiça de começar um livro novo bate. Então não é nem novidade que eu ia ficar ANIMADA quando a Página 7 anunciou, no começo do mês, a coletânea Todas as cores do Natal, com cinco autores escrevendo histórias bem brasileiras, bem natalinas e, claro, cheias de representatividade!!

A proposta da coletânea é, justamente, apresentar histórias com personagens LGBTQ+ (o que a gente já vê direto na capa, lindona!), indo desde amigos secretos no curso de inglês a garotas mágicas e sereias. E, olha, já fica o aviso – as chances de você chorar lendo cada continho são altas. Eu mesma chorei em pelo menos dois deles. Ficou curioso? Então vem ler mais! Continuar lendo

Os contos de romance da Olívia Pilar

olívia pilarDepois de indicar O Senhor do Vento lá no começo do ano (e dar uns motivos pra começar a ler contos), eu voltei com mais duas histórias curtinhas mas nem por isso menos incríveis pra vocês! Do que eu tô falando? De Entre Estantes e Tempo ao Tempo, da Olívia Pilar!

Os dois contos foram publicados de forma independente pela Olívia lá na Amazon (mas é aquela história – se você não tem um kindle, o e-reader da Amazon, tudo bem, porque dá pra baixar o aplicativo no seu celular ou tablet e ler por lá mesmo). Além das capas fofíssimas e das poucas páginas (ou seja, você lê num piscar de olhos e fica apaixonado pelo resto do dia), o que os dois contos têm em comum (e que são muito bem trabalhados, por sinal) são protagonistas negras e seus relacionamentos com outras meninas – sejam elas a garota da biblioteca da faculdade ou a melhor amiga da infância. Continuar lendo

Café Coado na Calcinha: o melhor conto erótico que você respeita

Às vezes, numa busca despretensiosa por uma nova leitura, a gente acaba esbarrando em algo surpreendentemente bom. Navegando sem rumo na página de ebooks da Amazon e esbarrando em milhões de contos eróticos com capas e títulos duvidosos, eu encontrei Café Coado na Calcinha. Não tive vontade de ler, confesso, mas acabei aceitando o pedido das migas e peguei o conto pra ler. E qual foi minha surpresa ao perceber que esse conto erótico foi, até o momento, a minha melhor leitura de 2017.

capa

[Descrição da imagem: Um fundo de renda vermelha com um quadro branco na frente e o título do conto escrito também em vermelho.]

Continuar lendo