4 webcomics pra começar o mês do Orgulho LGBT

Junho é o mês do orgulho LGBT. Aqui no Pavê a gente tá sempre falando sobre a importância de representação e diversidade, então é óbvio que um mês com uma relevância tão grande quanto esse não podia passar batido. É por isso que eu trago aqui 4 webcomics que apresentam uma variedade de personagens LGBT! Infelizmente eu só conheço em inglês, mas fica aberto o pedido para recomendações de webcomics brs!

Rainbow or Pride Flag

Pra cego ver: imagem da bandeira do orgulho LGBT.

Continuar lendo

Webcomics independentes: uma alternativa para as grandes HQs

Eu sempre fui uma criança que gostava de ler. Meus pais tinham um acordo comigo: A cada boletim escolar com notas boas, eu ganharia um presente de minha escolha. Ganhei uma Barbie sereia maravilhosa nessa e também livros que me acompanham até hoje e que reli até a exaustão. E, também, uma coleção de mais de quinhentos gibis da Turma da Mônica.

webcomics

O tempo passou e os gibis dividiram seu espaço com as webcomics. A primeira que eu acompanhei não foi nada menos do que Nimona, da Noelle Stevenson – a história de uma menina metamorfa que rendeu à então estudante de Maryland Institue College of Art o prêmio de “Best Web Comic de 2012”, pela Slate, de melhor webcomic de 2014, pela Paste Magazine e, claro, o Eisner Award em 2015 e a nomeação para o National Book Award do mesmo ano. Nimona também fui publicada em formato de graphic novel pela HarperCollins em 2015, teve seus direitos vendidos para uma adaptação animada e, recentemente, foi lançada aqui no Brasil pela Intrínseca, com tradução da Flora Pinheiro.

Nimona também abriu novas portas de leitura para mim. De repente, eu percebi que existiam milhares de webcomics disponíveis de graça na internet, com toda sorte de artistas trabalhando duro para colocar suas histórias mundo afora. No post de hoje, apresento duas webcomics que venho acompanhando há quase dois anos e uma outra de uma das minhas artistas favoritas que começou recentemente, todas em um inglês bem tranquilo de entender – e escritas por minas fantásticas!

Continuar lendo